terça-feira, 1 de agosto de 2006

o jardim à frente de casa
perguntou à mãe se podia ir brincar para a rua. a mãe respondeu-lhe afirmativamente, dizendo que não saísse do jardim que ficava à frente de casa.
ele saiu.
estava calor e àquela hora, provavelmente, não iria encontrar ninguém para brincar. mas preferia ir para a rua a ficar em casa e ter de ouvir as discussões dos pais. não havia maneira de pararem de discutir...
sentou-se no banco do jardim e olhou para o céu. estava sol, por isso teve de fechar os olhos.
e, enquanto fechava os olhos, apeteceu-lhe imaginar que não estava ali. que não era ele. que vivia noutro país. que era filho de outros pais. que era feliz.
e lembrou-se da avó.
lembrou-se do tempo em que avó o levava todos os dias ao rio. e, enquanto a avó lavava a roupa, ele com os primos brincavam dentro de água. sem medos, com gargalhadas e muita vida.
depois os primos tinham deixado de ir passar o verão com ele e a avó já não precisava de ir lavar a roupa ao rio. e os passeios ao rio tinham sido esquecidos por todos.
agora restava apenas o jardim e alguns amigos que ali apareciam ao fim da tarde.
cada vez havia menos gente na aldeia.
cada vez se sentia mais sozinho. no entanto, gostava de viver assim.
um dia, também ele, havia de partir. o pai andava sempre a dizer que haviam de partir.
já tinha tantas saudades e ainda não chegara o dia da despedida.
começou a ouvir passos. eram os amigos que se aproximavam. sempre tinha companhia.

8 comentários:

claudynius disse...

Tocou-me a nostalgia...
Que saudades das minhas avós.
A paterna(a avó claudina), não me levava ao rio quando ia lavar!
Levava-me sim, a apanhar junco,para cobrir o chão de terra batida da adega e, assim, torná-la mais fresca nos dias quentes de verão...que saudades!

Obrigado por me teres feito reviver

Bjs e boa noite

Rosalina disse...

de nada, claudynius. aliás o prazar é meu por ficar a saber que o que escrevi permitiu "activar" boas memórias.

boa noite.

pb disse...

ui.....fizeste-me vir á memória as ferias na terra com a Avó, não me levava ao rio, embora houvesse um, mas eram férias especiais !! obrigado e uma beijoka

Rosalina disse...

é bom saber que o que escrevemos agrada aos outros. gosto desta partilha, pb.

não sendo autobiográfica, nesta pequena história também estão algumas das minhas memórias.

uma noite descansada.

wind disse...

Esta "estória" além de me levar à minha infância de não gostar de ouvir discussões, também ainda hoje me é muitopresente.
Não é por acaso quevivo sózinha, detesto barulho e discussões, refugio-me em casa, (o meu jardim).
Aqui "desnudas-me":)

pintoribeiro disse...

hum...bom dia, bjihoss.

Rosalina disse...

e quem gosta de discussões, wind? :)

Rosalina disse...

pintoribeiro, bom dia. está sol, calor. chuaf.