quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008






(...)

5 comentários:

Quintanilha disse...

Porque será que nos sucessivos Governos, desde o 25 de Abril, não houve um único ministro da Educação que agradasse ao professores e seus sindicatos?

Manuel Correia disse...

Obrigado pelo link. O 1º Ministro, nas Jornadas Parlamentares do PS (Telejornal da RTP1), ontem, chamou à Ministra, por lapso, Ministra da Avaliação. Sem querer fazer chicana com o lapsus linguae, depreende-se deste "acto falhado" a preocupação de José Sócrates. A Ministra está a ficar sozinha. Terá de ser demitida (ou demitir-se) para o governo poder retomar a confiança dos professores.
Nada obrigava a que viesse a ser assim...

Kazahn disse...

See HERE

Rosalina disse...

Bem, Quintanilha, como repete este comentário em vários postes, se me permite respondo-lho apenas aqui.

Pois olhe, é curioso ter essa opinião. Também é professor?

É que sabe, eu não concordo com ela. Logo, devolvo-lhe a pergunta. O senhor que explique.

Tenha um bom dia e apareça sempre.

Rosalina disse...

A propósito dessa intervenção do PM o mais curioso ainda é o facto do senhor até agora, e sempre que falava nos agentes das Novas Oportunidades, usar um majestático nós.

De repente, lembrou-se que há professores na Escola.

Vergonhoso.

Tem razão, Manuel, quando diz Nada obrigava a que viesse a ser assim...