sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008


(...)“Todas as escolas têm um coordenador da educação para a saúde, na qual está envolvida a educação sexual”, refere, acrescentando que “existe um conjunto de regras na área da educação para a saúde em várias áreas”, nomeadamente a da educação sexual, tendo “o grupo de trabalho feito uma revisão de bibliografia para as escolas”.

Assim, sublinha Valter Lemos, “está tudo a decorrer com a normalidade prevista”, restando apenas “garantir que todas as escolas dêem cumprimentos às orientações a partir deste ano”. (..)


______________

Eu não gosto de dizer sobre alguém que seja mentiroso, mas...

Na escola onde lecciono ainda não tive conhecimento que houvesse um coordenador da educação para a saúde, na qual estivesse envolvida a educação sexual.


E realmente que importância tem isto, quando sob o primeiro existe a suspeição de licenciatura fraudulenta ou disto?


Uma vergonha.
.
.
.


4 comentários:

HarryHaller disse...

Já o grande pedagogo João dos Santos afirmou que educação sem educação sexual não é educação. Outra coisa mas consequência desta, é saber quem tem aptidão para dar essa educação. Basta ser professor(a)médico(a) para ter idoneidade para ensinar educação sexual no verdadeiro sentido da palavra?

Um bom fim de semana Rosalina, Rosálea Rosácea:)

Lobo das Estepes

Alien8 disse...

Rosalina, Rosalina ....

Quando se diz "todas as escolas", quer-se na realidade dizer "quase todas as escolas", ou possivelmente "algumas escolas" ou ainda, quem sabe, "uma ou outra escola"...

Isso é perdeitamente confiemado pela expressão do parágrafo seguinte, "está tudo a decorrer com a normalidade prevista". É bom que se preveja a normalidade. Olha lá se se previsse a anormalidade!?!

Não será normal que um homem que provavelmente será engenheiro e certamente chegará a primeiro não tenha tempo para se armar em copista e encarregue o colega da faculdade, por acaso funcionário da Câmara, de manuscrever a sua, dele suposto engenheiro, obra?

Depois, como canta o Zé Ramalho ("Admirável Gado Novo"),
"Lá fora faz um tempo confortável
A vigilância cuida do normal.
Os automóveis ouvem a notícia,
Os homens a publicam no jornal."

O teu direito à indignação e o meu direito ao cinismo, com o mesmo finale: "Uma vergonha."

Bom fim de semana.
Beijos.

Rosalina disse...

Basta ser professor(a)médico(a) para ter idoneidade para ensinar educação sexual no verdadeiro sentido da palavra?

Claro que não, Lobo. Pensando, por exemplo, na sala de professores que frequento todos os dias, não sei se lá estará alguém com essa competência. E, obviamente, incluo-me nesse grupo.

E mais não acho sequer que deva haver uma disciplina com esse nome. A educação sexual deveria estar diluída no currículo dos alunos.

Rosalina disse...

"Lá fora faz um tempo confortável
A vigilância cuida do normal...


Hoje nem por isso. Está de chuva. ;)

Quanto ao resto, concordamos.

Beijocas.