sábado, 12 de janeiro de 2008

No Correio da Manhã:

Privatizações: Sócrates e Soares em desacordo
Condenado das FP insulta Sócrates


Um antigo dirigente condenado no processo das FP-25 provocou ontem um incidente no final do discurso do primeiro- -ministro sobre os desafios do desenvolvimento. Assim que terminou a apresentação de Sócrates, Mouta Liz levantou-se, exaltado, e acusou o primeiro--ministro de ter feito um discurso “de propaganda”. Liz berrou que “isso não passa de mentiras” e que “o primeiro-ministro não tem vergonha”. Contrastando com a indiferença e calma com que Sócrates abandonou a sala, Mário Soares, que tinha discursado antes, no seminário que decorreu ontem na Fundação Gulbenkian, em Lisboa, ainda tentou acalmar os ânimos, sugerindo que se o participante não ficasse em silêncio seria posto na rua, o que de pouco adiantou. O homem continuou dizendo que “a esquerda de que [Sócrates] fala não existe”. E foi ao ponto de dizer que já estava farto de ouvir “umas cem vezes a palavra ‘esquerda’”, numa clara referência ao discurso de Sócrates, que não se coibiu de usar o termo. Muitos dos presentes na sala voltaram-se contra o autor dos protestos, que ficou incomodado. Na resposta, Mouta Liz gritou que a maioria dos presentes “vive à custa do Estado”.
(...)


No Diário de Notícias:

Soares manda calar ex-FP 25

Um debate ontem promovido por Mário Soares na sua Fundação sobre "dinâmicas sociais e sindicalismo" ficou marcado por um incidente entre o anfitrião e um dos presentes, o ex-sindicalista do Banco de Portugal Mouta Liz, conhecido por ter sido acusado de ser membro das FP-25.

Tudo aconteceu enquanto José Sócrates, também convidado, discursava. Mouta Liz, presente na plateia, levantou-se e gritou "propaganda". Soares irritou-se, foi ao microfone, e gritou-lhe: "O senhor cale-se, está aqui como conv idado mas também pode ser convidado a sair."
(...)
__________________

Desculpem, mas o incidente foi o mesmo?!

2 comentários:

Pêndulo disse...

Depois há quem se ria quando se diz que há uma campanha organizada e com uma estratégia definida para induzir num dado sentido pela manipulação da comunicação social.
Claro que tudo está a coberto da liberdade editorial e são "visões diferentes" . Uma treta é o que é.A concentração dos orgãos de comunicação em grandes grupos dá nisto.
Há quem lhe chame democracia. Eu não.

Rosalina disse...

...liberdade editorial e são "visões diferentes"...


Ou 'miopia autista'. :D