domingo, 4 de novembro de 2007


Fui, de novo, desafiada pela Cristina.

Tal como ela, acho a corrente bem engraçada.

Olhei logo para a secretária à procura do livro mais próximo. Eram todos livros escolares e dicionários. Desisti. Levantei-me e tirei o livro que estava no topo dos que estão à espera de ser lidos: Agostinho da Silva, Uma Antologia, Org. e apresentação de Paulo Borges, Ancora Editora.

Página 161, 5ª frase completa:

(...) Quem se me opõe no campo de batalha, aí está por uma carga muito mais pesada do que imagina, em virtude de fatalidades físicas suas, por exemplo, a de ter nascido naquele país e não noutro, naquela época e não noutra; em virtude de fatalidades históricas que séculos sem número lhe jogam sobre os ombros; e talvez por uma outra fatalidade: a de por inteligência ou por educação não ter compreendido que outras possibilidades havia além da luta. (...)

_______________

Passo a corrente à M., ao Lobo das Estepes, ao Manel, ao tempus fugit e ao Alien.

As regras são:

1ª - Pegar num livro próximo (PRÓXIMO, não procure);
2ª - Abrir na página 161;
3ª - Procurar a 5ª frase completa;
4ª - Postar essa frase no seu blog;
5ª - Não escolher a melhor frase, nem o melhor livro;
6ª - Repassar para outros 5 blogs.


________________

Espero que gostem da ideia...

________________

ADENDA

Deixado nos comentários por Pézinhos n´...Areia :



O desafio não me foi lançado mas apetece-me responder a esse desafio:

aqui vai:

O livro mais à mão é este, por razões profissionais:

- "ESTUDO DOS SEM ABRIGO"
(realizado entre 2004 e 2005, no Instituto de Segurança Social.

Na Pág. 161 - A 5ª Frase.
Ei-la:

"... este tipo de realidades - aliás pouco conhecidas também noutros contextos europeus - configura situações de extrema precariedade e reflecte percursos de vida complexos onde o "estar sem abrigo" no sentido mais restrito do termo, foi em muitos casos, mais uma das etapas dessas trajectórias de marginalização."


________________


Pézinhos n´...Areia, obrigada pela participação espontânea.




5 comentários:

Cristina disse...

rosalina

fiquei com uma duvida técnica...a frase pode ser em forma de poema? ou não se chama frase? :/

Cristina disse...

gostei do Agostinho da Silva, outras possibilidades existem mas, implicam comunicação, coisa nem sempre fácil.

Rosalina disse...

Em relação à dúvida...pode. Há poetas que não as fazem, evitando usar pontuação, deixando ao critério de quem lê essa liberdade. Mas na tua frase, existe a pontuação. Logo, independentemente da forma ser o verso, e não a prosa, a frase está lá. ;)

______________

É a comunicação... difícil porque implica quase sempre saber ceder.

Cristina disse...

ahh, uff, obrigada.

beijocas

Pézinhos n' Areia disse...

o desafio não me foi lançado mas apetece-me responder a esse desafio:

aqui vai:

O livro mais à mão é este, por razões profissionais:

- "ESTUDO DOS SEM ABRIGO"
(realizado entre 2004 e 2005, no Instituto de Segurança Social.

Na Pág. 161 - A 5ª Frase.
Ei-la:

"... este tipo de realidades - aliás pouco conhecidas também noutros contextos europeus - configura situações de extrema precariedade e reflecte percursos de vida complexos onde o "estar sem abrigo" no sentido mais restrito do termo, foi em muitos casos, mais uma das etapas dessas trajectórias de marginalização."

Fim !

E agora explicando melhor, Querida Rosalina:

O objectivo principal deste Estudo sobre os "sem abrigo" foi:

- o de identificar as causas que levam à situação de sem abrigo, com particular destaque para a análise das trajectórias profissional e habitacional e respectivas representações e expectativas realtivamente a estes dois domínios.


Saudades tuas e de outro(a)s amigo(a)s aqui "do nosso bairro virtual"

O mais importante é gostarmos (TANTO) uns dos outros, e curiosamente não nos conhecermos.

voltarei ______________ (sempre !)

um beijo grande