quinta-feira, 14 de junho de 2007

porque há momentos em que a voz está cansada e os sons ficam presos cá dentro e as forças esmorecem, que urge a necessidade de ir com o vento. repousar nas asas de uma qualquer ave marítima que passe por ali e nos leve.
é assim...
.
.

Perguntei ao vento
Onde foi encontrar
Mago sopro encanto
Nau de vela em cruz
Nau de vela em cruz
Foi nas ondas do mar
Do mundo inteiro
Terras da perdição
Parco império mil almas...






3 comentários:

Anónimo disse...

também eu sei o que é estar sen forças e estar cansada também e receber paradas por todos os lados

Anónimo disse...

não pelo qe publica mas pelo que returque merece bem umas belas patadas

Rosalina disse...

Ora bem, anónimo das 14:12 e anónimo das 17:09, que suponho sejam o mesmo.

Julgo que o seu tipo de comentários é que, sinceramente, começa a cansar. Se a sua intenção é essa, pronto, atingiu o objectivo.

No entanto, não julgue que deixarei, quer de responder, quer de postar, quer de permitir que qualquer um comente.

Se acha que deve continuar a seguir essa linha de comentários, continue. Se acha que deve continuar a vir ver o que aqui publico, venha. Se acha que deve continuar a ser mal educado/a, continue a ser.

Nada lhe posso dizer ou fazer.

Garanto-lhe, ainda assim, que não deixarei de ser quem sou.

Tenha um resto de boa noite, se conseguir, porque alguém que escreve aquilo que escreve não deve ter muitas noites descansadas, bem dormidas. Já eu, lhe garanto, que durmo como um anjo.

* Caso os anónimos não sejam os mesmos, o meu comentário é para ambos.